Planejamento estratégico preliminar

Missão

"Ser referência na capacitação de recursos humanos em pesquisa e desenvolvimento na área de Engenharia Mecânica, aprimorando a sociedade e os meios de produção com uso racional do meio ambiente".

Visão

“Ser reconhecido como importante promotor de ensino, ciência, tecnologia e inovação mecânica em nível internacional”.

Valores Institucionais

• Qualidade de formação do corpo discente e docente;
• Desenvolvimento de linhas de pesquisa com distinto impacto econômico, social e ambiental;
• Alta produtividade científica, tecnológica e inovação do corpo discente e docente;
• Atuação relevante na comunidade científica nacional e internacional;
• Captação de recursos de pesquisa em agências de fomento e empresas;
• Integração do conhecimento gerado com a pesquisa ao ensino e a extensão dos cursos de graduação;
• Prêmios e distinções.

Pontos fortes, pontos fracos, ameaças externas e oportunidades (referente até o próximo quadriênio 2024);

Principais pontos fortes do programa

• Corpo docente conciso, qualificado e comprometido com a pesquisa e o ensino;
• Formação média de 28 mestrandos e 19 doutorandos por ano;
• Cooperação internacional ativa e participação efetiva no PRINT;
• Interdisciplinaridade e cooperação entre os pesquisadores do Programa;
• Projetos de pesquisa financiados por agências de fomento;
• Projetos de pesquisa financiados por empresas de grande porte no cenário nacional;
• Realização de um seminário anual (POSMEC) coordenado por alunos do programa que permite a difusão dos trabalhos de pesquisa desenvolvidos pelos alunos;
• O programa é sediado em uma Universidade relativamente nova que incentiva o desenvolvimento da pós-graduação como um todo;
• O estabelecimento de uma unidade EMBRAPII-FEMEC;
• Único Programa de Pós-Graduação conceito CAPES 7 da UFU e de Minas Gerais;
• Laboratórios de pesquisa abertos para comunidade científica fora da FEMEC.

Principais pontos fracos do programa

• Pouca participação de professores recém contratados que não possuem uma produção científica relevante;
• Dificuldade de produção bibliográfica de qualidade envolvendo alunos com pouca experiência de pesquisa (mestrandos);
• Maioria das disciplinas ministradas apenas na língua portuguesa;
• Falta de infraestrutura para ampliação de laboratórios;
• Desigualdade na distribuição de recursos de projetos de empresas entre laboratórios;
• Falta de uma sala de defesa e ou aula com videoconferência operacional;
• Falta de incentivo para criação de empresas de tecnologia por egressos do programa (Spin-off ou Startup);
• Baixa quantidade relativa de depósitos de patente.

Ameaças externas

• O baixo valor das bolsas de agências governamentais deixa a Pós-Graduação menos atrativa;
• Baixa contratação pela iniciativa privada dos egressos do programa;
• Irregularidade no provimento de recursos para a pesquisa por agências governamentais;
• A distância dos grandes centros deixa o Programa menos atrativo para discentes externos a Uberlândia.

Oportunidades

• Crescimento da agroindústria na região com procura de parcerias com a Universidade por empresas de equipamentos agrícolas. Essa é uma oportunidade de captação de recurso para pesquisa.

• Participação crescente de projetos e parceria com a PETROBRAS e outras grandes empresas.
• Atração de novas parcerias com empresas via EMBRAPII.
• Atração de novas parcerias internacionais, alunos e professores estrangeiros devido ao projeto PRINT.
• Lei da inovação para a captação de projetos integrados a graduação através do fomento da iniciação cientifica e prospecção de financiamento para o desenvolvimento de pesquisas com duração suficiente para abarcar teses e dissertações.

Metas

• Atingir a marca de 70 % do corpo docente do programa com bolsa produtividade pesquisa do CNPq até o final do quadriênio (2024). Atualmente somos 33 professores nos quais 19 são bolsistas PQ, ou seja, 57 % do corpo docente;
• Atingir a média de formação de 32 mestrandos e 22 doutorandos por ano até o final do quadriênio (2024);
• Atingir ao final do quadriênio (2024) a marca de 680 dissertações e 410 teses defendidas;
• Participação de pelo menos 10 % do corpo discente em programas de doutorado sanduíche até o final do quadriênio (2024);
• Trazer pelo menos 5 professores estrangeiros até o final do quadriênio (2024);
• Aprovar 20 novos projetos de pesquisa com agências de fomento e empresas até o final do quadriênio (2024);
• Promover um segundo fórum anual de comunicação entre alunos do programa de pós-graduação, com a oportunidade de apresentação de trabalhos de pesquisas ou desenvolvidos em disciplinas tipo Estudo Dirigido;
• Trazer 5 novos projetos com empresas até o final do quadriênio (2024). Pode ser utilizado os recursos do EMBRAPII e a Lei da Inovação para fomentar essa interação;
• Participação de pelo menos dois professores novos (ou com baixo índice h) por ano em projetos associados ao programa;
• Instituir, até 2020, uma premiação anual de melhor dissertação e melhor tese no congresso POSMEC que é organizado por alunos do programa;
• Disponibilização de 30 % da quantidade de bolsas do programa via projeto de pesquisa em parceria com empresas. Incentivar maiores valores de bolsas advindas de projetos de pesquisa para tornar as bolsas mais atrativas;
• Montar uma sala de defesa e/ou aula com videoconferência para o programa até 2020;
• Pelo menos 20 % das disciplinas do programa ministradas em língua estrangeira até 2024;
• Promover a integração do programa com o CIAEM - Centro de Incubação e Atividades Empreendedoras da UFU e pelo menos uma reunião anual com os alunos de pós-graduação com foco em empreendedorismo e trazendo palestrantes externos. A meta é motivar a criação de novas empresas de tecnologia por futuros egressos do programa;
• Aumentar em 20 % o número de depósito de patentes do programa até 2024.

Ações

Seguindo o planejamento, ações foram definidas de acordo com as metas apresentadas:

1. Promover palestras sobre o projeto de pesquisador com instruções para conquistar ou melhorar o nível de produtividade em pesquisa do CNPq (Meta 1);

2. Incentivar a captação de novas bolsas de projetos de pesquisa em parceria com empresas a fim de aumentar o número de alunos do programa com consequências no número de defesas anual e a quantidade de teses e dissertações até 2024 (Metas 2 e 3);

3. Promover ações e comunicação entre professores e alunos do programa com a finalidade de gerar novos convênios internacionais e viabilizar planos de trabalho que contemplem inserção internacional que podem ser financiados pelo programa PRINT (Metas 4 e 5);

4. Promover ações e comunicação entre alunos e professores do programa sobre fontes de financiamento e empresas interessadas em desenvolvimento em engenharia. Pode ser utilizado recursos EMBRAPII para fomentar essa interação que também pode envolver alunos do programa. Essa ação pode ser combinada para gerar novas bolsas e/ou bolsas de maior valor para compensar a defasagem do valor das bolsas governamentais. Essa iniciativa também pode ser utilizada para gerar infraestrutura laboratorial (Metas 6, 8 e 12);

5. Introduzir um novo seminário ou encontro com o objetivo de publicar pesquisas desenvolvidas por alunos em ambiente externo a UFU promovendo a participação de empresas e autoridades regionais (Meta 7);

6. Utilizar sistema de premiações para melhores trabalhos nos seminários que acontecem no programa, como forma de incentivar a participação de alunos (Meta 10);

7. Promover ações em conjunto com a administração central da UFU para melhora as salas de aula do programa e a sala de defesas criando um ambiente de vídeo conferência efetivo (Meta 12);

8. Inserir uma disciplina em língua estrangeira por ano até atingir a meta de 20% das disciplinas ofertadas em língua estrangeira. Fornecer curso de língua estrangeira para os professores que se dispõem a ministrar essas disciplinas. Usar essa informação para atrair alunos estrangeiros (Meta 13);

9. Incentivar a transferência de tecnologia entre os egressos para gerar spin-off por meio da criação de novas empresas de base tecnológica fomentando o empreendedorismo e inovação. (Meta 14);

10. Promover ações para melhorar a comunicação com a agência da UFU responsável pelo registro de patentes, trazendo palestras e reuniões sobre a legislação e o processo envolvida no pedido de patentes. (Meta 15);

Alinhamento com PIDE da UFU

O planejamento estratégico do programa de pós-graduação em Eng. Mecânica da UFU está perfeitamente alinhado com o Plano Institucional de Desenvolvimento e Expansão PIDE da UFU elaborado vigente desde março de 2017. Os itens 1.8.1 e 3.3.2 do PIDE-UFU tratam exclusivamente das políticas voltadas para pesquisa, inovação e extensão no sentido de expandir e desenvolver programas de pesquisa, inovação, transferência de tecnologia e empreendedorismo. Nessa linha, as principais diretrizes são:
• Criar e manter infraestrutura multiusuário para apoiar iniciativas individuais ou associadas, para ampliar as chances da UFU frente às oportunidades apresentadas pelas agências financiadoras;
• Fomentar as parcerias em todos os níveis, incluindo a área privada, numa relação ética, com autonomia e soberania;
• Dar visibilidade internacional aos programas de pós-graduação e em especial à produção científica, tecnológica e artística, mediante divulgação em diferentes mídias e idiomas;
• Potencializar o uso das competências regionais no desenvolvimento e operacionalização das soluções de tecnologia;
• Implementar uma política de propriedade intelectual e de inovação tecnológica na Universidade Federal de Uberlândia;
• Disseminar a cultura da inovação e acesso à tecnologia junto à comunidade acadêmica.
• Celebrar os instrumentos legais oriundos da Lei de Inovação 10.973/2004;
• Coordenar e acompanhar os mecanismos de gestão do Centro de Incubação de Atividades Empreendedoras (CIAEM), incubadoras de empresa da UFU;
• Fornecer assistência necessária às empresas incubadas;
• Articular parcerias estratégicas para o incentivo à pesquisa e inovação.
A confirmação do conceito CAPES 7 do nosso programa nos colocou em uma posição de destaque servindo de guia para o desenvolvimento dos demais programas de pós-graduação da UFU que também buscam o reconhecimento internacional.

Nesse sentido a internacionalização do programa já é uma realidade. Por exemplo, para a seleção de ingressantes de 2019 foi ofertado um edital independente para candidatos estrangeiros, residentes no exterior, para os cursos de mestrado e doutorado. Foram oferecidas, neste primeiro edital, cinco vagas para estrangeiros com a reserva de uma bolsa para o melhor colocado. Outros programas da UFU já estão se organizando pensando nesse tipo de ação focada na atração de alunos estrangeiros.

De fato, o programa de Eng. Mecânica da UFU desenvolve várias ações visando a maior visibilidade internacional, tais como, incentivar a participação de pesquisadores internacionais para visitas técnicas, projetos de pesquisa, produção de artigos, co-orientação de dissertação e teses, entre outras ações. O programa se compromete a continuar incentivando o intercâmbio de alunos e professores em estágios de curta duração e congressos.

O programa sempre procurou atrair alunos de outros países. Uma grande barreira para alunos estrangeiros, principalmente do continente Europeu e Estados Unidos é a língua. Nesse sentido, o programa incentiva que os docentes do programa se preparem para ministrar aulas em inglês.

O programa está ciente da necessidade de se disponibilizar pelo menos uma sala configurada e projetada com tecnologia apropriada para videoconferências. O intuito é viabilizar defesas e aulas à distância, permitindo a participação de bancas e cursos com a participação de professores de outros países. A Diretoria da Faculdade já está se organizando para viabilizar esta sala. Está previsto, para 2019, a construção de um auditório em um novo prédio da faculdade com excelente infraestrutura.

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação juntamente com todos os programas da UFU aprovou um projeto de internacionalização (PRINT) junto à CAPES. Ao todo, foram aprovados 12 milhões de reais para o quadriênio 2018-2022. Para o Programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica estão destinados recursos da ordem de 3 milhões de reais. O projeto envolve:
• Capacitação permanente na língua inglesa para as secretárias do Programa, incluindo o apoio a intercâmbio de curta duração para o aprendizado de línguas;
• Oferecimento de cursos do Instituto de línguas estrangeiras para discentes, técnicos e docentes;
• Sinalização trilíngue das ruas internas da Universidade;
• Oferecimento de cursos na língua inglesa;
• Incentivo à redação de teses e dissertações em inglês, com a possibilidade de no final de quatro anos instituírem a obrigatoriedade dos textos de conclusão em inglês.
• Missões de trabalho de curta duração envolvendo docentes do Programa e Docentes de Universidades estrangeiras. Estão previstas pelo menos 80 missões nos anos de 2019-2020.
• Implementação e execução de intercâmbio de discentes de doutorado na modalidade doutorado sanduiche, sendo previsto a implementação de 20 bolsas de doutorado sanduiche nos anos de 2019-2020 com duração de seis meses cada.
Todas essas ações estão em consonância com a política de visibilidade internacional aos programas, prevista no PIDE-UFU.